"o pior analfabeto é o analfabeto político..." Bertold Brecht

.quem sou

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.recentemente

. Dia do Pai...

. O analfabeto político

. Um cravo de Fraternidade

. Abril, mês dos cravos e d...

. Com irregularidades, mas ...

. Poema...

. Digam lá se isto não é de...

. O que nasce torto…

. Erro de autarca põe idoso...

. Homens e mulheres unidos ...

.as escolhas

. todas as tags

.outras andanças

.fotomemória

.companheiros

. Migração

.Ofeliazinha

Ofeliazinha

.Fraternidade

Fraternidade
Estou no Blog.com.pt

.Quantos já passaram

Terça-feira, 19 de Julho de 2005

População de Rabo de Peixe merece mais e melhor...

Mais uma vez Rabo de Peixe faz manchete nos órgãos de comunicação social, e mais uma vez por uma má causa, a exoneração do director do Projecto “Velhos Guetos, Novas Centralidades”, através da aplicação dos fundos EFTA.
Qual não foi o meu espanto quando li as declarações dos deputados do PSD na Assembleia da República vieram a público insurgir-se contra a exoneração acusando o actual Governo da República de partidarizar a questão.
Como qualquer pessoa que viva em Rabo de Peixe, quer seja oriunda daquela Vila ou não, mas que se preocupe minimamente com os problemas daquela localidade, é óbvio que quando foi anunciada a aprovação da candidatura aos fundos EFTA, não pude deixar de manifestar o meu contentamento, e ao mesmo tempo alguma apreensão quanto à aplicação dos fundos.
Também não pude deixar de me sentir revoltada com a disputa efectuada entre o Governo da República da altura – coligação PSD/CDS-PP – e o Governo Regional.
Continuo a achar que nestes casos, o interesse das populações deve sobrepor-se aos interesses partidários de quem está no poder e que, independentemente das cores partidárias, os responsáveis políticos devem ter uma atitude de colaboração em prol do bem comum, em vez de andarem de costas voltadas a ver quem fica com os louros da iniciativa.
O que é certo é que a partidarização comprometeu e continua a comprometer a aplicação das verbas, pois os responsáveis governamentais, numa atitude autista, persistiram em permanecer de costas voltadas.
Não é apenas o facto do projecto neste momento estar sem director que compromete a sua continuidade, mas também o facto de – por estranho que pareça – na altura da candidatura de Rabo de Peixe aos fundos EFTA, o Governo da República ter-se esquecido de consultar o Governo Regional e a Câmara Municipal, a ver se estes possuíam terrenos que permitissem a construção das infra-estruturas que constam do projecto. Como tal não foi feito na altura, e como os técnicos se “esqueceram” que a aquisição de terrenos não era considerada despesa elegível, neste momento, não será apenas a exoneração do director do projecto a colocar em risco a sua continuidade.
A atitude adoptada pelos deputados do PSD na Assembleia da República, nomeadamente por Mota Amaral, são, no meu entender, reveladoras de falta de escrúpulos, até porque é preciso não esquecer que Mota Amaral é um dos principais responsáveis pelo isolamento e esquecimento a que Rabo de Peixe esteve votado durante largos anos.
A atitude de Mota Amaral, ao longo das duas décadas em que esteve à frente dos destinos da Região, foi a de tentar “tapar o sol com a peneira”, não encarando de frente os problemas existentes de forma a que, não falando deles, pudessem ser ignorados, evitando assim que fossem exigidas responsabilidades.
Por outro lado, Carlos César, na semana passada e após ter sido publicado o pré-aviso de greve para os trabalhadores das IPSS’s, veio exigir publicamente maior fiscalização na aplicação das verbas que são atribuídas a estas instituições, resta então perguntar-lhe:
- Essa mesma fiscalização não cabe ao Governo Regional?!
- Tem o Governo Regional fiscalizado a aplicação das verbas transferidas para as IPSS’s ao abrigo dos protocolos de cooperação e dos apoios eventuais?!
- No caso específico de Rabo de Peixe, porque razão a Casa do Povo de Rabo de Peixe não era considerada entidade idónea para atribuição dos projectos de luta contra a pobreza e agora já o foi para o protocolo de apoio à recuperação de habitação degradada, assinado no fim do ano passado entre a Secretaria Regional da Habitação e Equipamentos e a Casa do Povo?! Tem estado a ser fiscalizada a aplicação das verbas transferidas?!
Rabo de Peixe é uma situação específica e particular quer a nível regional, quer a nível nacional e a resolução dos problemas existentes, só será possível quando houver planos integrados em que sejam consideradas e aplicadas medidas de fundo e não apenas cuidados paliativos que não curam as feridas, mas apenas as escondem momentaneamente.
Enquanto os problemas da habitação, inserção sócio-profissional e educação não só em termos académicos, mas também educação cívica não forem encarados de forma integrada e planeada, de pouco ou nada servirá que se continue a investir em Rabo de Peixe, pois os problemas poderão até ser minorados, mas continuarão a existir.
A população da Vila de Rabo de Peixe merece mais e melhor, merece governantes que se preocupem realmente em resolver os problemas existentes e não apenas em fazer fogo de vista em época eleitoral.

analfabetado por ilheu às 09:16

para onde devo ir | ajuizar | juntar...
|

.memórias

. Março 2009

. Junho 2007

. Junho 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

.Ofeliazinha

Ofeliazinha

.fotomemória

.Quantos já passaram

.subscrever feeds