"o pior analfabeto é o analfabeto político..." Bertold Brecht

.quem sou

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.recentemente

. Dia do Pai...

. O analfabeto político

. Um cravo de Fraternidade

. Abril, mês dos cravos e d...

. Com irregularidades, mas ...

. Poema...

. Digam lá se isto não é de...

. O que nasce torto…

. Erro de autarca põe idoso...

. Homens e mulheres unidos ...

.as escolhas

. todas as tags

.outras andanças

.fotomemória

.companheiros

. Migração

.Ofeliazinha

Ofeliazinha

.Fraternidade

Fraternidade
Estou no Blog.com.pt

.Quantos já passaram

Quarta-feira, 22 de Junho de 2005

Pelo andar da carruagem, a política cultural vai piorar…

Na semana passada Carlos César reconheceu que a política cultural na Região está mal, nomeadamente pelo facto da cultura não chegar à população… Na verdade, ao longo de muitos anos, a política cultural desenvolvida na Região, tem-se caracterizado por ser elitista, e abranger apenas uma pequena franja de pseudo intelectualóides que pavoneiam os galões pelas praças da nossa sociedade, como se a actividade cultural fosse propriedade deles!
Os Governos de Carlos César, têm prosseguido e continuado a fomentar este tipo de visão da cultura e da actividade cultural e se é verdade que há que pedir responsabilidades a quem tem estado à frente dos destinos da Direcção Regional, não é menos verdade que Carlos César, enquanto presidente do Governo Regional, não pode qual Pilatos, lavar as mãos e assobiar para o lado como se não tivesse nada a ver com o assunto.
Um dos bons maus exemplos da política cultural que tem sido seguida, é o que se passa actualmente em Rabo de Peixe… no passado dia 25 de Abril, e poucos dias passados da estreia dos “Patrapeixinhos”, aquando das comemorações da elevação a Vila, Carlos César inaugurou com pompa e circunstância o Cine Teatro Mira Mar, recentemente recuperado.
A inauguração de semelhante infra-estrutura na jovem Vila, podia ser um bom presságio para o Patrapeixe, projecto dirigido por Teo Camacho e que originou a criação de um grupo de teatro infantil e de um outro juvenil, que revelou talentos escondidos para as artes dramáticas e que poderia, acima de tudo, ser uma forma útil e alternativa de ocupar os tempos livres de crianças e jovens.
Contudo, parece que a inauguração do Cine Teatro foi o início do fim dos grupos… incompreensível e caricato, não?!
Qual não foi o meu espanto, em conversa recente, quando soube que, alegadamente por falta de financiamento, os grupos correm o risco de deixar de existir, o que é dramático não só para as crianças e jovens, mas também para quem ao longo de cerca de um ano, se dedicou de alma e coração a um projecto interessante.
Para além disto, volvidos quase dois meses da inauguração do Cine Teatro Mira Mar, este continua de portas fechadas à actividade cultural, enquanto os dois grupos de teatro permanecem sem actividade.
Tendo em conta esta situação, restam algumas perguntas:
Não é o Presidente do Governo Regional o responsável máximo por todas as orientações políticas do seu Governo e dos membros do mesmo?!
Não tem o Presidente do Governo Regional responsabilidades na escolha do seu executivo?!
Se há dinheiro para inaugurações de estradas envolvendo espectáculos que custam balúrdios, porque razão não há dinheiro para financiar projectos e iniciativas deste tipo?!
Por quanto tempo continuará o Cine Teatro Mira Mar de portas fechadas – supostamente por estarem a decorrer filmagens?!
Porque razão existe dinheiro para o Festival de Música, mais uma vez dirigido pela Srª Canavilhas, e não existe dinheiro para um projecto deste tipo?!
Porque razão, passados tantos anos, ainda não se procedeu à desburocratização do acesso aos apoios culturais na Região?!
Mas que esperar de um Governo cujo primeiro mandato, em termos culturais, ficou assombrado pelas polémicas criadas pelo primeiro Director Regional, Luis Fagundes Duarte…?!
Se o senhor Presidente do Governo Regional está tão descontente com a política cultural, porque não faz uma remodelação…?! Mas não se esqueça que não basta mudar a cara do Director Regional, a reforma necessária, terá de passar por remodelações profundas e por uma nova forma de encarar a política cultural na Região.
A finalizar o estado lastimável em que se encontra a cultura nos Açores, em vez de aproveitar para dar mais dinamismo às Casas da Cultura – cujo papel pode ser bastante interessante – este Governo avança com o fim das mesmas, centralizando ainda mais e criando novos obstáculos a quem pretenda fazer algo de interessante em termos culturais nesta nossa terra…
Muito mal vai a nossa cultura… e pelo andar da carruagem, as coisas tendem a piorar!

analfabetado por ilheu às 09:58

para onde devo ir | ajuizar | juntar...
|

1 comentário:
De Anónimo a 23 de Junho de 2005 às 10:04
A cultura e tudo o resto minha maiga. Não consigo antever um cenário muito bom, por mais que me esforce. Aqui, como ái, um país às escuras e bronco, permite o desgoverno a que temos assistido.
"Em terra de cegos quem tem olho é rei".
Esta máxima é seguida à letra pelos políticos, que em democracia, emitam muito bem Salazar.
Um beijozezinho
(http://vbeiras.blogapraai.com)
(mailto:apcorreia@vozdasbeiras.com)


Comentar post

.memórias

. Março 2009

. Junho 2007

. Junho 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

.Ofeliazinha

Ofeliazinha

.fotomemória

.Quantos já passaram

.subscrever feeds